Focos em movimento 

Na Casa do Gaiato de Santo Antão do Tojal

Correspondendo a um convite da Direcção da Casa do Gaiato de Santo Antão do Tojal, a Rede participou numa sessão de apresentação da iniciativa Cuidar da Casa Comum, focando designadamente a ideia da criação de focos de conversão ecológica. Participaram na sessão dirigentes, pessoal e utentes daquela instituição. A sessão foi animada por dois membros da Comissão Executiva (Manuela Silva e Adelaide Theotónio) e pelo padre Hugo Gonçalves, prior do Campo Grande. A sessão realizou-se no dia 21 de Março, para celebrar a Primavera, e foi seguida da plantação de árvores e da sementeira de flores, com a participação dos presentes.

 

O foco do Campo Grande meteu pés ao caminho

O início da caminhada foi no dia 14 de Março. Dentro do grupo, as motivações aproximam todos: preocupados com o mau estado da casa comum e pensando também no legado que as próximas gerações vão receber, desejam sacudir o torpor e assumir responsabilidades, mormente como cristãos. Reconhecem a urgência de agir, mas querem aprofundar primeiro o apelo do Papa na encíclica Laudato Si’ e não perder de vista a importância da oração, a fim de darem o seu melhor.

 

Encontro no Colégio do Bom Sucesso, Lisboa

Realizou-se no dia 27 de Fevereiro uma apresentação do programa da rede Cuidar da Casa Comum aos professores e professoras do Colégio do Bom Sucesso, em Lisboa. Falou-se dos focos de conversão ecológica e também do programa para jovens que, entretanto, já está disponível.  A proposta foi bem recebida, tendo sido valorizado em particular o facto de esta proposta incluir não só uma vertente ambiental, mas também outra espiritual.

 

Campo Grande, Lisboa

No salão da igreja do Campo Grande, estiveram, no dia 23 de Fevereiro, umas dezenas de pessoas para conhecer a iniciativa de Cuidar da Casa Comum. Depois das boas-vindas do prior, P. Hugo Gonçalves, Manuela Silva e Adelaide Theotónio falaram da Rede e da formação de focos de conversão ecológica. O diálogo vivo e participado que se seguiu mostrou como faz sentido esta proposta de responder ao desafio lançado na encíclica Laudato Si’. E já se formou um foco no Campo Grande, havendo também a intenção de promover caminhos de conversão ecológica entre as crianças da catequese.

 

Parede: nasce um foco determinado a trazer mudança

No dia 21 de Fevereiro realizou-se no Centro Comunitário da Paróquia da Parede um encontro de apresentação da Rede às paróquias da Parede, de Carcavelos e da Abóboda, tendo a seguir sido avançada a proposta de formação de focos de conversão integral. E, logo no dia seguinte, foi-nos confirmado que ali na Parede se constituíra um primeiro foco. Parabéns e bom trabalho, Parede!

 

Carcavelos – encontro de jovens

O encontro com os jovens dos Grupos de Vida da paróquia de Carcavelos – cerca de 80, entre os 14 e os 18 anos – aconteceu no dia 26 de Janeiro.  Luísa França fez a apresentação da Rede e, a seguir, houve trabalho de grupos, em que os jovens foram apontando problemas de ecologia e acções que se podem contrapor.

 

Comunidade dos franciscanos conventuais

A comunidade dos franciscanos conventuais em Portugal, reunida em sessão de formação, quis reflectir sobre a encíclica Laudato si’ e conhecer a iniciativa Cuidar da Casa Comum. O encontro ocorreu em Lisboa, na Bela Vista, no dia 5 Fevereiro.  Sintonia no pensamento; comunhão de visão e empenhamento na acção; perspectivas de iniciativas futuras de Cuidar da Casa Comum na paróquia de Marvila. E, porque não em Coimbra ou Viseu, onde também existem comunidades deste ramo franciscano?

 

«Embora todos sintamos que esta é uma causa comum, acabamos muitas vezes por andar cada um para seu lado e achamos que pouco podemos fazer. A criação de uma plataforma que una as pessoas e as ponha a caminhar juntas num mesmo sentido é a melhor resposta aos grandes desafios que se nos colocam.»

P. Vítor Mira

Pároco de Alqueidão da Serra e Alcaria

Leiria-Fátima

A apresentação da Rede que se realizou em Fátima no dia 23 de Janeiro teve cerca de uma centena de pessoas a assistir, a maioria das quais religiosas de diferentes congregações e de vários pontos do País (estava a decorrer em Fátima uma sessão de formação promovida pela Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal). Presentes ainda um pequeno grupo de amigos de diferentes paróquias de Lisboa e outro da equipa do Graal da Golegã. De salientar o trabalho empenhado da Margarida Alvim e do P. Valentim, missionário do Verbo Divino, na concretização desta sessão de apresentação na diocese de Leiria-Fátima.

 

Lourinhã

No dia 19 de Janeiro de 2018, às 21h30, decorreu, no anfiteatro da Câmara Municipal da Lourinhã, a primeira apresentação pública da rede Cuidar da Casa Comum. Assistiram cerca de 50 pessoas. A Rede foi representada por Manuela Silva, a oradora, Luísa França e Luísa Ribeiro Ferreira. À exposição seguiu-se um tempo de diálogo em que a participação da audiência mostrou o seu interesse pela iniciativa, que surge em linha com algumas actividades com base na encíclica Laudato si’ desenvolvidas no ano passado pelo Grupo ACR (Acção Católica Rural) da Lourinhã. Foi, aliás, o seu assistente, padre Joaquim Batalha, que promoveu a realização desta palestra.

A Rede ganha vida – um exemplo a seguir

A Casa de Betânia, associação que promove a integração familiar, social e laboral de pessoas com deficiência intelectual, acolheu prontamente o convite para participar na nossa rede e avança decididamente: “para 2018-2020, escolhemos como tema unificador ‘Juntos vamos cuidar da nossa Casa Comum’”. E acrescenta ainda estas palavras inspiradoras: «Esperamos que estas oportunidades nos enriqueçam e abram novos caminhos de fraternidade, para nós, nossos amigos e colaboradores e assim, possamos dar ao nosso Planeta Azul o que dele recebemos e possamos repor algo do que lhe retirámos. Contamos como todos vós, neste projeto de vida que possa ir aonde ainda nem sonhámos, para o bem comum de todos os seres criados.»

Além do mais, no seu plano de actividades 2018-2020, cita a fonte, Laudato Si’: «Queremos olhar com outros olhos para o nosso planeta para compreendermos melhor como tudo nele está “interligado” (LS n.117) e relacionado (LS n.120), pois esse é um dos grandes desafios que a Ecologia integral nos lança, neste momento, para juntos descobrirmos a melhor forma de protegermos a Terra e o meio ambiente que são um bem comum, património de toda a humanidade e da responsabilidade de todos. Quem possui uma parte do património é apenas para a administrar em benefício de todos”. (LS n.95)»

E abraça o desafio: «Juntos vamos cuidar da nossa casa comum e vamos dar passos no caminho de uma ecologia integral.» A associação Casa de Betânia integra a rede Cuidar da Casa Comum – a Igreja ao serviço da ecologia integral.

[02jan2018]

 

Lourinhã responde antes da chamada

Não provém de combustíveis fósseis esta energia, mas é um entusiasmo contagiante. Tendo ouvido falar do projecto Cuidar da Casa Comum, o Grupo da Acção Católica Rural da Lourinhã tomou a iniciativa de nos procurar. É a primeira adesão espontânea à rede Cuidar da Casa Comum e, sem mais delongas, agendaram para 19 de Janeiro um colóquio sobre a encíclica e a nossa Rede na Lourinhã. Será pelas 20h00, no Auditório D. Bébé.

[29dez.2017]